quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Convite da reunião do Conselho Comunitário de Segurança da 7ªAISP

Convite da reunião do Conselho Comunitário de Segurança da 7ªAISP
Área Integrada de Segurança Pública no dia 25 de Fevereiro, 5ª feira.

________________________________________
Prezados  moradores e amigos da AISP7/SG, segue abaixo o convite para a reunião do Conselho de Segurança Pública.
Conselho Comunitário de Segurança da 7ª Área Integrada de Segurança Pública.

A Presidente do CCS-AISP 7 tem a honra de convidar V. S., para a Reunião do Conselho Comunitário de Segurança da 7ª Área Integrada de Segurança Pública a realizar-se no dia 25 de Fevereiro , 5ª feira.

Horário: 10 h às 12h Local : (OAB/SG) Travessa Euzelina, 100 - Zé Garoto, São Gonçalo - 
RJ, 24440-395 -(21) 2723-6709.

As reuniões do Conselho Comunitário de Segurança – AISP7 são abertas ao público.
Os Conselhos Comunitários de Segurança são canais de participação popular em assuntos ligados à Segurança Pública, de caráter consultivo.

Os gestores das organizações policiais devem ouvir as questões apresentadas, adotar as providências necessárias para a solução dentro da sua esfera de competência ou encaminhar a quem possa resolvê-las, além de apresentar os resultados das ações.


segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

DESABAFO DO PRESIDENTE DO SIRTGÁS , NELSON ZIVIANI

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

“Isso é uma brincadeira, uma afronta a minha inteligência, disse um revendedor nervoso”.


O auditório do Minaspetro, em Belo Horizonte, foi sede do 1º Encontro de Revendedores de GLP de Minas Gerais, última quinta-feira, dia 17 de fevereiro. O evento, realizado pela Associação Brasileira de Entidades de Classe das Revendas de Gás (Abragás) e o Sindicato do Comércio Varejista Transportador e Revendedor de GLP do Estado de Minas Gerais (Sirtgas), foi destinado aos revendedores de gás liquefeito de petróleo (GLP) do Estado e teve como objetivo levar informações aos empresários sobre as leis que regem o segmento.

O presidente da Abragas , José Luiz Rocha acentuou  a importância do evento e da presença dos revendedores , embora tenha questionado o número de participantes , mas pediu para que os presentes se filiassem  a instituição, discurso ,esse que teve o apoio do representante da Fecombustiveis, o senhor Paulo Miranda.

Falou-se rapidamente sobre o mapa de controle de movimento mensal (PORTARIA CNP/DIFIS Nº 395, DE 29.10.1982 - DOU 4.11.1982). Entretanto, o coordenador geral da ANP em Minas Gerais, Roberto Jonas Saldys, explicitou que não havia motivos para preocupação com a portaria, pois embora não tivesse sido revogada a ANP não mais cobrará tal procedimento.

Outro ponto tratado foi à resolução 70/11 ANP, que disciplinar o estacionamento de veículos transportadores de recipientes transportáveis de GLP cheios, parcialmente utilizados e vazios, no interior de imóvel onde exista área de armazenamento para recipientes transportáveis de GLP, a fim de resguardar as condições mínimas de segurança,
O ponto de grande polêmica do evento ficou por conta do advogado do Minaspetro, explicou ele: “Embora quase ninguém pague, no setor de GLP, é obrigatória o pagamento da TCFA (Taxa de Controle e Fiscalização Ambiental) emitida pelo IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente).
Porém foi a Resolução ANP Nº 26 de 27/05/2015, que visa regulamentar a comercialização, em áreas urbanas e rurais, e a entrega de recipientes transportáveis de GLP em domicílios de consumidores, em estabelecimentos comerciais e industriais, para consumo próprio, e entre revendedores autorizados pela ANP, por meio de veículos automotores, que movimento o auditório, o evento teve que ser interrompido algumas vezes, tal qual era a revolta dos revendedores com a resolução. Foram muitas denúncias de fraude, em ralação ao adesivo que a ANP exige que seja afixado aos veículos, ao ponto do representante da agência se comprometer a fazer outra reunião só para tratar deste assunto. “Isso é uma brincadeira, uma afronta a minha inteligência, disse um revendedor nervoso”.
Participaram ainda do encontro o presidente do Minaspetro, Carlos Guimarães Jr. , o presidente da Fecombustíveis, Paulo Miranda Soares, o coordenador geral da ANP em Minas Gerais Roberto Jonas Saldys, Warcio Lara Vilela ,(Gerente de  Unidade de Negócios da Copagaz),José Antonio Borges,(IJ Assessoria)  Dr Ricardo Tonieto, (Sindigás),Dr Douglas Geovannini, (Ultragaz) e os presidentes das duas instituições idealizadoras do evento, José Luiz Rocha, da Abragás e Nelson Valentim Ziviani, do Sirtgás.


terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

1° Encontro ABRAGAS de Revendedores de GLP em Belo Horizonte – MG



A Abragas e o Sirtgas-Sindicato do Comércio Varejista Transportador e Revendedor de GLP do Estado de Minas Gerais, convida aos Revendedores de GLP, para participarem do 1° Encontro ABRAGAS de Revendedores de GLP, que ocorrerá em 17 de fevereiro de 2016 em Belo Horizonte na Sede do Minaspetro.

Temas em pauta: Resoluções 26/2015, 40/2014, 70/2011 e Portaria CNP/ DIFIS 395/1982 (MCMM)
Data: 17/02/2016


Horário: 9: 00 ás 17:00
Local: Rua Amoroso Costa, 144 – Bairro Santa Lucia – Belo Horizonte – MG

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016


João Ribeiro Leite Júnior, 51 anos, dono do depósito J. Ribeiro Gás, foi preso em flagrante nesta semana por fraudar lacres e vender botijões com peso 25% menor que o oficial. A revenda funcionava em um posto de combustíveis localizado na Avenida General Carlos Alberto Mendonça, Bairro Jardim São Conrado, em Campo Grande.

Depois de receber denúncia anônima, equipe da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Contra as Relações de Consumo (Decon) passou a fazer monitoramento e flagrou funcionários vendendo botijões de gás diretamente nas residências de consumidores.

Em acompanhamento a um veículo Saveiro, utilizado na entrega de mercadoria, investigadores flagraram João Ribeiro em frente a casa de uma cliente, na Vila Carvalho, onde vendia o produto adulterado.
De acordo com os policiais, os botijões de gás que estavam na carroceria do veículo estavam com os lacres visivelmente adulterados. Eles foram cortados com lâmina e recolocados de maneira improvisada, com uso de cola.


Durante a pesagem dos botijões, policiais confirmaram a denúncia de que estavam com peso 25% inferior ao padrão estabelecido pela Agência Nacional do Petróleo (ANP), que é de 13 quilos de conteúdo líquido.
Já no depósito J. Ribeiro Gás, investigadores apreenderam dois botijões cheios e sem lacres, além de botijões vazios, lacres rompidos, tubos de cola, lâmina de corte e um transferidor, equipamento artesanal usado para passar carga de um vasilhame para o outro.
João Ribeiro foi preso em flagrante e levado para a Decon, onde foi autuado por crime contra as relações de consumo e contra a ordem econômica. Já o depósito de revenda do produto foi interditado.