Ocorreu um erro neste gadget

sábado, 2 de dezembro de 2017

Mulheres unidas no gás de cozinha.

A Paranaense Sandra Ruiz, 42 anos, presidente do Sinegas está entre as mulheres que são dirigentes sindicais, ela já assegura lugar numa galeria de mulheres, onde outrora somente homens transitavam.


Sandra, é figura fácil de ser encontrada nos eventos relacionados ao segmento. Fervorosa, ela luta com unhas e dentes pelas revendas de gás do Paraná. “Ruiz representa o avanço da mulher que agora ocupa o cargo Sindical nos estados, ela tem provado, (embora não precise) pra todos, que as mulheres podem sim e tem competência para guiar os rumos desta bandeira. “Nós que participamos de  toda esta veia sindical e ao mesmo tempo somos mães, esposas, chefes de família estamos muito felizes com esta luta. É a força da mulher pra mudar este mercado. “Parabéns , parabéns mulheres e parabéns Revenda de Gás.”, comenta.


Corajosa, ela tem enfrentado as dificuldades de um mercado de gás, onde a cada minuto se tem uma novidade, devido a nova política de preços da Petrobrás, onde o produto tem aumentado todo mês, e tendo ainda que conviver com uma concorrência, entre os revendedores, que nem  sempre é leal.


O triunfo de Ruiz é também uma vitória pessoal do presidente da Abragás
( Associação Brasileira de Entidades de Classe das Revendas de Gás LP)) José Luiz , já que Ruiz , além de presidente do Sinegas é também diretora  da instituição, que é ligada a Fecombustíveis, com sede no Rio de Janeiro. 






















quinta-feira, 23 de novembro de 2017

É necessário tomar cuidado ao comprar gás

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

sábado, 2 de setembro de 2017

Gás de cozinha terá aumento de até R$ 10 em setembro

Jornal Gazeta

Um comunicado oficial já foi repassado pela Associação Brasileira de Revendedores de GLP (Asmirg) e o aumento no valor final do produto pode chegar a 20%. “É um acréscimo realmente muito grande. Hoje a média do valor do botijão de gás (de 13kg) na região é de R$ 55 e, portanto, a tendência é que possa ficar até R$ 10 mais caro. Como revendedores, nós somos obrigados a repassar este aumento”, assinala o presidente do Sindicato dos Revendedores do Estado de Santa Catarina (Sirgás), Fernando Bandeira.



Conforme estudo realizado pela Asmirg, o valor praticado atualmente na Região Carbonífera está dentro da média no Sul do Brasil entre R$ 40 e 78 no preço ao consumidor final. Quanto à data para que aconteça o aumento, Fernando, no entanto, salienta que ainda não está definida. “Pelo que estamos acostumados, deve ser ainda na primeira semana de setembro. Não deve passar muito disso”, aponta o presidente do sindicato.

De acordo com ele, há dois motivos para a elevação do preço do produto. “Um fato é uma determinação da própria Petrobras, que segundo informado por eles, houve uma consideração da atual cotação internacional do GLP (gás liquefeito de petróleo, o gás de cozinha), que teve aumento de 15%. Outro fato então é o dissídio da categoria, que ocorre todo mês de setembro e ficará em torno de 5%”, declara.

“Hoje nós já estamos trabalhando com os preços defasados. Se for analisar bem, o preço que praticamos hoje é o que deveria ser praticado três anos atrás. Não tem como manter assim. Se depois deste aumento mantivermos os valores, não teremos possibilidade de aguentar. Vamos ser obrigados a repassar este aumento”, sustenta o revendedor indica o empresário Carlos Alberto Pereira.


sábado, 26 de agosto de 2017

Botijão de gás vai ficar mais caro a partir de setembro

O preço do botijão de gás ficou 9,50% mais alto em 12 meses, de agosto de 2016 a julho de 2017, quase três vezes maior que a inflação calculada pela FGV IBRE no período, que ficou em 3,45%. O aumento passou de 0,19% em junho para 0,32% em julho, segundo dados do IPC Brasil, calculado pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (IBRE). E o consumidor já pode se preparar para outro aumento, de 9% a 10% no próximo mês, segundo as estimativas da   Associação Brasileira das Revendedoras de Gás LP (Abragás).

Isso acontecerá porque setembro é a data base da categoria, e haverá aumentos salariais de todos empregados de distribuidoras e revendedoras, além de o setor repassar o custo operacional represado durante o ano, como combustíveis, pneus e manutenção de veículos, etc.
O presidente da Associação Brasileira das Revendedoras de Gás LP (Abragás), afirma que o peso no bolso do consumidor é causado pela nova política
de preços da Petrobras:
— O aumento afeta as distribuidoras, que fazem o repasse para os revendedores, que reajustam o preço final. É um efeito em cascata.

O preço médio do botijão de gás no município do Rio de Janeiro é de R$ 52,45, segundo a pesquisa semanal realizada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). O valor mínimo é de R$ 40,95, em Vigário Geral, na Zona Norte, e pode chagar a R$ 67, em Campo Grande, na Zona Oeste.

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Copagaz divulga seu Inventário de Emissões de CO2

Copagaz divulga seu Inventário de Emissões de CO2: Relatório apontou redução de 2,2 % nas emissões em 2016, em comparação ao ano anterior relativo à tonelagem de GLP engarrafado. Investimentos feitos pela companhia em Tecnologia e